O que você faz, fala tão alto que não ouço o que você diz...

Ainda sobre o poder do cidadão como consumidor.
PALESTRA DO PRESIDENTE DO SANTANDER - SÃO PAULO - BRASIL



Um novo paradigma.




Só na década de 1970 se começam a debater os problemas de um paradigma centrado no rendimento e no crescimento, bem como as limitações dos indicadores de natureza económica. Não só o PIB per capita não se adequa como medida de bem-estar, não sendo capaz de medir questões como a qualidade de vida ou a felicidade, como não tem em consideração a delapidação do capital natural (por exemplo, a degradação ambiental ou a diminuição das reservas de recursos não renováveis), nem a degradação do capital humano ou social (por exemplo, da qualidade de vida).  
...

Urge uma nova revolução, um novo paradigma de desenvolvimento, uma redefinição do conceito de progresso. A economia terá de ser moldada por novos conceitos como sustentabilidade ou qualidade de vida. Não podemos aceitar que um canibal que passe a comer de faca e garfo seja considerado progresso. Como dizia o meu professor Roque Amaro, no dia em que a economia for verdadeiramente solidária com o ambiente, as pessoas e a diversidade passará a ser uma ciência da vida (como a Biologia). Esse é o seu sentido.


Palavras de João Wengorovius Meneses escritas em 2007 no Diário Económico. Não posso estar mais de acordo. 
Passaram 3 anos e todos os anos os homens mais poderosos da economia mundial se reúnem em Davos, na Suiça para debater os problemas da economia e da sociedade mundial. The World Economic Forum
À primeira vista, nada mudou. Crescimento é a religião da economia.

Oceanos

O mar em todo o seu esplendor. A não perder! 




Quando faltam os dolares - O fim da guerra no Iraque

 No bucks, no Starbucks! Sem dinheiro não há heróis.





O Presidente americano, Barack Obama, anunciou o fim das missões de combate no Iraque e recordou que no próximo ano segue-se o Afeganistão. A prioridade da América é ultrapassar a crise económica. 
Ver notícia aqui.